jusbrasil.com.br
17 de Setembro de 2019

O Grampo de Lula

Senta que lá vem a história

Alessandro Gonçalves, Advogado
Publicado por Alessandro Gonçalves
há 3 anos

Há algum tempo, Rubens Ricupero, então Ministro da Economia nomeado pelo Presidente falecido, Itamar franco, a época substituto de FHC, foi flagrado conversando com o jornalista Carlos Monforte da Rede Globo.

No "furo" ele falava, ao estilo Sérgio Naya, de coisas que, em qualquer outro país abalaria as bases do poder.

Não deu em nada e FHC foi eleito presidente no primeiro turno. Estou me perguntando o que essas gravações acrescentaram a operação lava a jato. Foi falado algo que eu não sabia? Abriu-se a janela para novas investigações, indícios de novos crimes ou novos envolvidos? Nada...

Consigo diferenciar quando se trata de conversa privada, nas quais, naturalmente as pessoas se exaltam, acabam por serem fanfarrões, bancarrotos e até falastrões. Isso definitivamente não é uma fraqueza somente do Lula ou do PT.

Não sinto que esse fato, apesar de lamentável e vergonhoso seja tão expressivo, muitos outros acontecimentos vem merecendo nossa atenção há muito tempo.

Torço para que a partir desse entrave moral que chegamos, surja algum intento de renovação.

Porém, não posso deixar de refletir que esse circo midiático montado ao redor de Lula e sua gente, me cheira a manipulação descarada.

Isso me faz pensar, será que Aécio Neves aguenta um grampo de um minuto e meio?!... Fico imaginando uma conversa entre ele e Zezé Perrela.

Quero muito que saibamos como curar esse cancro herdado dos atuais atores políticos.

Em 1994, Rubens Ricupero, saiu do jogo e o jornalista Carlos Monforte foi ser correspondente da Globo na "Sbornia." Não houve essa orquestração dos meios de comunicação.

Óbvio que o vazamento da gravação foi seletivo e serve a interesses manifestamente contrários ao reinado do PT.

Torço para que amanhã, ao acordarmos, Sérgio Moro não tenha declarado a independência da República de Curitiba.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)